O mundo não é dos espertos

Tempo de leitura: 3 minutos

Ao contrário do dito popular, o mundo não é dos espertos, mas infelizmente grande parte do povo sempre procura tirar proveito de alguma situação e esquece que a corrupção que tanto reclama também está nas pequenas coisas.

Hoje pela tarde resolvi ir ao mercado, apenas para comprar coisas básicas. Entrei no mercado, escolhi o que desejava e então fui para a fila, como estava com apenas 5 itens na mão, resolvi entrar na fila do caixa rápido, voltado apenas para pessoas com o máximo de 10 unidades em seu carrinho.

Depois de alguns minutos esperando, resolvi analisar os carrinhos de pessoas que estavam na fila, sem que elas percebessem, contei quantos itens haviam, foi então que percebi que a maioria das pessoas presentes naquela fila, carregavam muito mais que 10 unidades em seus carrinhos, não havia fiscalização, era apenas uma placa e cada pessoa seguia o que achava correto.

Nesse momento parei para refletir e resolvi escrever esse post.

Quem são as pessoas que estavam nessa fila?

São exatamente aquelas pessoas que reclamam da corrupção e da desonestidade diariamente, não que elas estejam erradas em não aceitar isso, mas é então que fica clara a divergência de opinião dessas pessoas, ao serem contra algo que elas mesmas também praticam.

Mas é claro que elas não são as únicas, todos nós em algum momento de nossas vidas nos pegamos seguindo aquela frase tão famosa: “O mundo é dos espertos”.

Mas será mesmo que agir assim é ser esperto?

Será que estamos contribuindo para o mundo, pensando dessa forma?

Definitivamente não, atitudes assim apenas fazem nossa sociedade regredir, por exemplo, a pessoa precisa comprar algo na farmácia, todas as vagas para estacionar o carro em frente a farmácia estão ocupadas, somente a vaga exclusiva para motorista deficiente não está ocupada, então essa pessoa decide estacionar seu carro na vaga para motorista deficiente com a justificativa de que é rápido e não é possível que nesse pouco tempo chegue um motorista que precise daquela vaga e tenha direito a ela, porém, sim, é possível.

Em qualquer lugar que se vá, encontram-se pessoas insatisfeitas com a desonestidade, mas poucas são as pessoas que tentam mudar a si mesmas em primeiro lugar.

Enquanto não pararmos de:

– Comprar aquele objeto baratinho que foi roubado há um tempo atrás, pensando que de qualquer forma ele será vendido, então que a gente se dê bem com isso.

– Fingir que nada aconteceu quando o garçom do restaurante esquecer de cobrar algo.

– Ficar com aquele celular ou aquela carteira que achamos no chão da balada, pensando que se o dono perdeu, não podemos fazer nada, ele deveria ter mais cuidado.

– Furar aquela fila, com a justificativa de estarmos atrasados para algum compromisso.

Infelizmente o mundo não irá progredir.

Enquanto não mudarmos essa nossa forma desonesta de pensar, o ambiente em que vivemos também não vai mudar, de nada adiantará reclamar, protestar, se não começarmos a mudança por nós mesmos, colocando em mente que o mundo não é dos espertos e sim dos honestos.

Pode não ser nossa culpa pensar dessa forma

Somos influenciados desde nossa infância por outras pessoas, a sermos desonestos, para eles o importante é conseguir a vantagem, o importante é ser o mais esperto, mas nunca é tarde para mudar e ser uma pessoa melhor para si e para todos ao seu redor, propagando também essa forma de pensar e agir, consequentemente criando aos poucos uma sociedade melhor para se viver.