Infidelidade: Mulheres percebem de forma diferente dos homens

Tempo de leitura: 1 minuto

A infidelidade é uma ação cometida por uma das pessoas da relação, pela qual se rompe um dos principais pilares do relacionamento, a confiança, com a quebra do acordo que havia sido estabelecido entre ambos.

A infidelidade pode causar insatisfação no relacionamento e provocar a separação. Em alguns casos o problema está na maneira como o indivíduo interpreta a infidelidade. A sua definição pode variar de pessoa para pessoa.

Um estudo publicado na Sexual & Relationship Therapy investigou as diferentes maneiras que os homens e as mulheres têm de perceber a ausência de fidelidade.

Os autores procuraram compreender melhor as diversas percepções sobre infidelidade e descobriram que as mulheres são mais propensas a considerar como infidelidade tanto atos sexuais fora do relacionamento quanto um envolvimento emocional.

Como realizaram o estudo?

Foi feito um teste com cerca de 354 estudantes de psicologia. Eles tiveram que preencher um questionário online. Esse teste tinha como objetivo avaliar a personalidade do indivíduo e sua percepção sobre a infidelidade, também foi avaliado a sua sensibilidade frente a rejeição.

Especificamente, o questionário utilizou diferentes categorias de perguntas para classificar a infidelidade de 3 formas: infidelidade sexual, infidelidade íntima e infidelidade irreal ou fantasiada.

Para os autores, o resultado de que as mulheres eram mais susceptíveis a identificar certos atos como infiéis não foi espantoso. A explicação para isso é que elas consideram a comunhão num nível mais alto que os homens.

Os pesquisadores concluíram o estudo sugerindo a aplicação de psicoterapia que levasse em consideração estas diferenças de gênero, de modo a aliviar a ansiedade.

Com base nisso, pode ser conveniente obter uma ajuda profissional a tempo, na qual sejam abordados os medos, a dependência e a baixa autoestima, para que surjam a coragem e a segurança de tomar decisões para merecer uma vida melhor, plena e feliz.

Fonte: Psy Post